É fato que quando se começa um negócio o dinheiro deve ser suficiente para adquirir suprimentos, pagar custos e despesas, até chegar no seu ponto de equilíbrio e finalmente poder funcionar tranquilamente.

Mas, quando a empresa começa a crescer, é comum que os gestores acabem não se atentando para alguns itens importantes que influenciam diretamente no fluxo de caixa da empresa, tais como: prazo de pagamento de fornecedores e clientes; inadimplência; atraso de pagamento de clientes; baixo ou nenhum giro de estoque e despesas inesperadas.

Será que esta situação lhe parece familiar?

De repente, as contas começam a surgir e você descobre que não há fundo suficiente na conta bancária da empresa, para pagar fornecedores, funcionários, cobrir as despesas ou investir em novos equipamentos. Em alguns casos, a falta de fundos pode ser temporária, mas em outros ela pode se prolongar por muito mais tempo.

Se as vendas caírem e você não tiver um valor reservado em caixa, com certeza não terá dinheiro suficiente para cobrir os custos das operações da empresa. É neste momento que você deve estar preparado, com um plano de emergência, para evitar ao máximo o acúmulo de perdas do seu negócio.

E o que você precisa fazer para organizar esta situação?

Organizar algo que, com certeza, você não será o primeiro nem o último a ter problemas: FLUXO DE CAIXA.

Se fluxo de caixa é o valor líquido de dinheiro que entra e sai de um negócio, quando ele está positivo indica que os ativos líquidos da empresa estão crescendo, permitindo que sejam pagos dívidas e despesas, sejam feitos investimentos em seu negócio, e até mesmo pague os dividendos aos acionistas. E quando isto não acontece, alguns problemas começam a ocorrer.

Você sabe quais problemas podem ocorrer pela falta de fluxo de caixa em sua empresa?

Devido ao erro no momento de estabelecer os prazos de pagamentos, tanto para fornecedores quanto para clientes, seu fluxo de caixa poderá ser diretamente afetado. Prazos de pagamentos relativamente curtos aos seus fornecedores, ou recebimento de clientes com prazo muito longo, afetará negativamente seu fluxo de caixa.

Inadimplência e atraso no pagamento é outro grande problema que compromete seu fluxo de caixa. Esperar um pagamento que não tem previsão de entrada em seu caixa, poderá gerar prejuízos para sua empresa.

Empreendedores podem não se dar conta, mas, manter um grande estoque com baixa rotatividade, também gera problemas no caixa da empresa. O dinheiro que poderia estar no caixa para comprar produtos de maior saída de vendas, ou realizar investimentos, pode estar parado, perdendo rentabilidade. Isso sem considerar que com o advento da Substituição Tributária, a empresa também antecipou todo o imposto da venda daquele item no momento da compra e, por isso, até que este item não seja vendido, a empresa não verá a cor desse dinheiro, ou seja, além de estocar produtos, também estão estocando imposto.

E outra situação complexa e indesejada são as despesas inesperadas como multas contratuais, por exemplo, desestabilizando seu caixa, principalmente se este não estiver positivo.

Para que estes tipos de problemas não aconteçam em sua empresa, preparamos para você,   7 dicas infalíveis que irão ajudá-lo a resolver o problema do seu fluxo de caixa:

Se o seu fluxo de caixa estiver organizado, será possível monitorar, organizar e prever o fechamento do mês.

Com estas 7 dicas, será possível organizar seu fluxo de caixa e evitar surpresas negativas em seu negócio.

#dica1 – Mantenha todos os pagamentos em dia

Antes de começar a organizar seu fluxo de caixa, abra uma planilha e organize todos os custos do seu negócio como as contas, custos de investimentos, do imóvel, entre outros.

Após organizados, monte um planejamento com todas as suas contas e uma previsão de recebimento com prazo de no mínimo 3 meses.

Com os pagamentos em dia é possível desenvolver melhor o fluxo de sua empresa.

#dica2 – Separe e classifique as despesas dos investimentos

Todos os gastos devem estar sinalizados com sinal de negativo (-) ou em cor diferente, como vermelho. Já, para os investimentos, o valor deverá aparecer com um símbolo de positivo (+), ou escrito em verde. Fazendo a separação desta forma, as confusões poderão ser evitadas e a receita da empresa poderá ser facilmente identificada.

Se a diferença entre os gastos e os investimentos for positiva, você pode recolher algum lucro ou fazer novos investimentos, porém, se o resultado for negativo, significa que sua empresa pode estar em uma fase inicial de investimento ou adversidades de um momento específico.

Quando as despesas superam os investimentos, um problema financeiro mais sério pode comprometer o seu trabalho. Por isso, saber como está o fluxo de caixa de sua empresa é de extrema importância.

Feita a separação é hora de classificar os gastos em, pelo menos, três categorias: imediatos, intermediários e longo prazo.

As despesas consideradas imediatas são aquelas que impedem o funcionamento da empresa caso não sejam pagas. As intermediárias são aquelas que possuem médio prazo.

Lembre-se que existem gastos que podem, e devem, ser cortados em momentos de crise, por isso, fazer a classificação deles é fundamental para o desenvolvimento de sua empresa.

#dica3 – Antecipe os ganhos do seu negócio

Coloque na mesma planilha do fluxo de caixa os prazos para os ganhos do seu negócio (anote na coluna oposta aos seus custos). A diferença entre eles (custos x ganhos) resultará na receita de sua empresa e assim será possível visualizar o andamento do seu empreendimento.

Ainda existem duas formas de otimizar o caixa de sua empresa. Uma delas é através do seu relacionamento com os clientes para que não ocorram atrasos nos pagamentos e a outra é verificar a possibilidade de crédito para obter os melhores financiamentos.

#dica4 – Atualize seu fluxo de caixa

Fique atento às mudanças e faça as alterações no seu fluxo considerando o novo cenário. Faça previsões realistas, mas nunca deixe de “sonhar” com um destino para o seu negócio.

#dica5 – Não dependa de um único fornecedor

Diversifique suas fontes, não fique refém de um único fornecedor. A diversificação deve estar adequada ao seu tipo de negócio e ao atual estágio dele.

#dica6 – Antecipe os problemas

Procure enxergar além, antecipando seus problemas como a falta de uma mercadoria, a demanda maior do mercado, a troca de um fornecedor. Uma boa visão de mercado fará com que você mantenha seu negócio bem estruturado.

#dica7 – Avalie rigorosamente

Seja rigoroso ao avaliar as contas de sua empresa. Se está endividado, o fluxo de caixa servirá para dar uma previsão de quando ela será quitada. Gerencie suas despesas e investimentos pensando em investimentos futuros.

Seguindo essas dicas você conseguira ter um fechamento de mês muito mais tranquilo.

E finalmente: Inove sem medo!

A inovação do mercado chegou para ficar e, para que você não seja pego de surpresa, procure implementar a inovação também.

Entenda mais sobre seus processos, seu fluxo de caixa, suas margens de lucro e, principalmente, sobre o novo “modelo de mercado”, onde a internet está reinando soberana nas decisões de compra.

A Abreme inovou e está aqui para ajudar você, revendedor e distribuidor de material elétrico a inovar também. Venha conversar conosco para entender como esta mudança do mercado poderá beneficiar a sua empresa.