Garanta a segurança do usuário e sua experiência de navegação neste final de ano.

O último trimestre do ano é especialmente agitado para os comerciantes, pois reúne datas como Dia das Crianças, Black Friday e Natal. 

Aumentar as vendas no Natal é um dos principais objetivos dos varejistas, já que a troca de presentes entre familiares e amigos é uma tradição em muitas famílias.

Sendo assim, os comerciantes devem dar uma atenção especial às estratégias a serem adotadas a fim de lucrar mais, seja através de lojas físicas ou e-commerce.

A prática de compras online se popularizou muito durante a pandemia, tendo registrado um aumento de 75% no final de 2020, segundo relatório da Mastercard. Além disso, o comércio eletrônico ganhou 13 milhões de novos consumidores só no Brasil.

O Natal do ano passado, para o e-commerce, foi um sucesso. Um levantamento da Mastercard SpendingPulse mostrou que, entre os dias 20 e 26 de dezembro de 2020, as vendas online no varejo brasileiro apresentaram um aumento de 154% comparadas ao ano anterior. 

E as previsões de vendas para o Natal de 2021 são animadoras: a expectativa é que o setor tenha uma alta de 30%, faturando até R$3,38 bilhões em vendas (segundo dados da consultoria EbitNielsen).

Segurança: Como proteger os dados dos seus clientes

Preservar os dados dos seus clientes é fundamental, independente do tamanho de sua empresa, principalmente devido aos avanços na tecnologia e aumento dos crimes cibernéticos e de vazamentos de dados nos últimos anos.

Um exemplo disso foi o vazamento de mais de 540 milhões de dados de usuários do Facebook, através do servidor em nuvem da Amazon, deixando milhões de pessoas expostas e impactando negativamente a empresa. 

Recentemente entrou em vigor no Brasil a Lei de Proteção de Dados (LGPD), cujo objetivo é proteger os dados da população, garantindo maior segurança e privacidade das informações coletadas. Ela prevê diferentes formas lícitas de captar dados dos clientes, e as medidas que as empresas devem adotar a fim de manter os dados dos clientes seguros. 

Caso a empresa cometa infrações e deixe de cumprir com as regras estabelecidas pela lei, ou seja, não proteja os dados dos clientes de forma devida, poderá receber uma multa que varia de 2% do faturamento da empresa até R$50 milhões, além de outros tipos de sanções impostas pelo Governo Federal.    

Mas você sabe quais as melhores maneiras de proteger os dados dos seus clientes? A seguir, iremos apresentar algumas formas de evitar o vazamento de informações dos clientes e alguns cuidados a serem adotados pelas empresas.

1- Faça backups 

Realizar backups frequentemente evita que os dados de sua empresa sejam perdidos.

Essas cópias podem ser armazenadas em locais seguros, como servidores, por exemplo, e protege a sua empresa de alguns transtornos.

Outra ação é criar um ambiente seguro para esses dados, implantando sistemas de firewalls, a fim de evitar invasão do sistema. 

2- Implemente normas de confidencialidade

Antes de tudo, de acordo com a LGPD, é necessário que o cliente autorize a coleta de seus dados pessoais. Esse é um dos 10 itens listados pela nova lei que autorizam o seu uso. 

Após a coleta, a confidencialidade dos dados deve ser preservada até mesmo dos próprios colaboradores. Assim, a empresa deve estabelecer práticas para que as informações não fiquem vulneráveis. Exemplos: normas internas que regulem o uso de dispositivos móveis e de internet nas dependências da empresa, contratos de confidencialidade, termos de responsabilidade, gravação de chamadas e tela, criptografia de informações dos clientes, etc.

3- Invista em um sistema de criptografia 

Criptografia é um conjunto de técnicas elaboradas para proteger informações, e também uma alternativa para sua empresa ampliar a política de segurança.

Por meio do sistema de criptografia, apenas pessoas autorizadas conseguem decifrar os dados utilizando códigos de acesso restrito, sem riscos de extravios ou cópias indevidas.

A criptografia pode ser utilizada para proteger informações enviadas e recebidas por diferentes meios de informação no ato do atendimento.

Portanto, todas essas práticas, além das previstas pela LGPD, podem e devem ser implementadas pelas empresas, independentemente do segmento de atuação, a fim de proteger os dados de seus clientes e evitar maiores problemas ao seu negócio.

Melhore a experiência de navegação de seu cliente

Além da questão da segurança, que acabamos de abordar, as empresas também devem focar na melhoria da experiência do seu cliente enquanto o mesmo estiver navegando em seu e-commerce.

E para entender melhor como colocar o cliente no centro das suas estratégias e planejamentos (UX – User Experience), sugiro a leitura do artigo A IMPORTÂNCIA DO USER EXPERIENCE (UX).

Com o crescimento das redes sociais, que criaram estratégias para atrair cada vez mais clientes com novas formas de vendas online, os e-commerces parecem ter perdido um pouco de espaço. Porém, a realidade é outra!

Os sites são essenciais para todo o trabalho de tráfego orgânico de uma marca, além de ser o principal portal de informação da empresa.

Um site, quando bem planejado, é uma ótima arma de vendas, pois comunica com informações relevantes, atraindo muitos clientes.

Mas o que fazer para melhorar a navegação de seu site, a fim de torná-lo eficiente? 

A seguir, daremos algumas dicas de como melhorar a experiência de navegação do cliente em seu e-commerce.

1- Aumente a velocidade de carregamento

Velocidade é fundamental para oferecer uma boa experiência de navegação e que leve o usuário a querer comprar com aquela marca. 

Na internet, as pessoas têm pressa e o fluxo de informação no mundo online é muito rápido. Os usuários são bombardeados com informações e conteúdos a todo instante. 

Assim, não há tempo a perder e se seu site for lento para carregar, o cliente vai procurar o que deseja no seu concorrente. 

Portanto, invista em aumentar a velocidade de carregamento de seu site. Isso vai lhe ajudar muito.

2- Opte por um design simples

O design ideal para seu site é aquele que simplifica a sua navegação. 

Não adianta o usuário entrar na sua página e não saber o que fazer para, por exemplo, comprar seu produto. Ele, provavelmente, irá desistir da compra e nenhuma empresa quer isso, certo?

Portanto, vale a pena optar por um design de site intuitivo, fácil de entender. Assim, o site se tornará mais acessível, aumentando o seu alcance e melhorando os seus resultados.

3- Tenha um site responsivo

É muito importante que a navegação de um site seja boa para qualquer tipo de usuário. Isso significa que os internautas devem ter boas experiências independentemente de qual ferramenta eles estiverem usando para acessar a página.

Para isso, é preciso ter um site responsivo, ou seja, um site que se ajusta a diferentes tamanhos de tela (desktop ou dispositivo móvel).

Adotando essa técnica, mais usuários conseguem navegar pelo site com facilidade, o que ajuda a tornar a página mais popular, aumentando as chances de conversão.

Portanto, seguindo essas dicas que acabamos de dar, seu site estará pronto para ser uma ótima ferramenta para alavancar suas vendas e conquistar novos clientes.