Começar uma empresa do zero não é uma atividade simples em nenhum ramo. E quando falamos em abrir uma loja de materiais elétricos, não é diferente.

O segmento elétrico está sempre aquecido em praticamente todas as regiões no Brasil, pois está diretamente ligado à construção civil. Portanto, os produtos dessas lojas têm uma vendagem muito boa.

Porém, ao mesmo tempo, a concorrência nesse mercado é forte.

Para obter sucesso, o empreendedor precisa estar atento a muitos aspectos, e se ele souber onde direcionar sua atenção, essa tarefa pode ser facilitada.

Para isso, preparamos neste artigo as 10 principais dicas para quem pretende aventurar-se nesse ramo.

Confira as 10 principais dicas para empreender no setor de material elétrico

1 – Posicionamento de Mercado

É necessário definir bem o seu público-alvo, através de pesquisas de mercado. 

A análise de oportunidades e ameaças e dos pontos fortes e fracos podem direcionar a sua empresa a determinar o público-alvo em que a sua concorrência não atue, por exemplo.

A partir dessa definição, é a vez de implementar estratégias de preços e promoções para os seus clientes, de acordo com o perfil deles.

2 – Gestão de Produtos

A organização da sua loja não envolve apenas a parte estética, mas também, oferecer conforto e combinar com o desejo do cliente. 

A área de vendas deve estar organizada, limpa, atrativa, colorida e deve despertar o interesse de compra do cliente.

O caixa deve possuir máquinas de pagamento, computadores e estrutura para auxiliar os funcionários desse setor e para que tudo funcione devidamente. 

A área de depósito deve ter prateleiras e estantes para o armazenamento dos produtos e uma estrutura de organização que facilite o controle rígido do estoque de mercadorias.

3 – Controles Financeiros

Gestão financeira é o conjunto de ações e procedimentos administrativos relacionados com o planejamento, execução, análise e controle das atividades financeiras do pequeno negócio. Resumidamente, é obter o melhor resultado – e o máximo de lucro – nas atividades da empresa.

Para iniciar uma boa gestão financeira, o primeiro passo é separar o dinheiro do pequeno negócio do dinheiro das despesas particulares. É muito comum que pequenos empreendedores misturem as contas da Pessoa Física com as da Pessoa Jurídica, mas é preciso se atentar para que isso não aconteça e não atrapalhe o financeiro da empresa. 

As 3 frentes de ação da gestão são:

  • Gestão do caixa no dia a dia: administrar as entradas e saídas de recursos financeiros relativos a vendas, prestação de serviços, pagamentos de fornecedores, salários, tributos, despesas, etc.;
  • Gestão de investimentos: acontece quando a empresa resolve expandir, modernizar, abrir novas unidades, comprar novas máquinas e equipamentos, etc.;
  • Gestão de crises: envolve renegociação de prazos com clientes e fornecedores, dívidas em instituições financeiras, protestos, negativações, ações de execução, enfim, uma área que exige saber fazer escolhas difíceis em eventuais tempos difíceis.

4 – Comodidade

A decisão de onde ficará sua loja é uma das mais importantes e tem impacto direto no sucesso do empreendimento.

Uma dica é buscar bairros residenciais, com alta densidade populacional, que tenham bastante movimentação, bem sinalizado, com estacionamento no local ou próximos, fáceis de encontrar, com bom acesso e em ruas populares.

Por incrível que pareça, a melhor estratégia é não tentar buscar lugares distantes de seus concorrentes. Se você fizer isso, estará fugindo também de onde seus clientes costumam frequentar quando precisam comprar materiais do tipo.

O acesso à loja sem complicações, facilidade de pagamento e possibilidade de entrega dos materiais adquiridos também são itens importantes que oferecem comodidade a seus clientes. 

5 – Parcerias

É importante ter um bom relacionamento com seus fornecedores e profissionais/empresas de produtos e serviços complementares.

A relação ideal entre empresa e fornecedor é a famosa expressão “ganha-ganha”, muito falada no ambiente de negócios. Significa que em uma negociação, todos ganham e ninguém perde.

E a ABREME pode lhe auxiliar com os melhores fornecedores de materiais elétricos do Brasil!

Fazer parcerias com eletricistas, construtoras e empresas do ramo em geral também pode ajudar a alavancar suas vendas, pois eles indicarão sua loja aos clientes deles.

6 – Marketing de Relacionamento

Você deve conhecer todas as necessidades e expectativas de compra de seus clientes e focar em uma estratégia de relacionamento com eles e que considere os objetivos do negócio.

7 – Gestão de processos

Investir na melhoria dos processos de compra e venda da loja e manter um controle dos indicadores do negócio é essencial para conseguir atingir metas de redução de custos e de aumento de vendas, por exemplo.

8 – Gestão de estoque

Uma boa gestão do estoque é importante, pois pode afetar o capital da empresa. O ideal é que o cliente sempre encontre o produto que quer na loja, mas um estoque exagerado não é bom, pois é dinheiro parado. 

Portanto, o estoque mínimo dos produtos é o que o empreendedor deve buscar.

Com o passar do tempo, será possível fazer os ajustes baseados em informações que os clientes passam e análise da demanda na loja.

9 – Layout da Loja

Os primeiros fatores a serem percebidos pelo cliente são a fachada e o ambiente da loja, e o impacto pode ser positivo ou negativo.

Alguns dos aspectos mais importantes na ambientação e comunicação com os clientes são:

  • Logotipo: deve ser relativamente curto, de fácil memorização e passar o conceito da loja e sua atividade.
  • Layout: é a utilização dos espaços disponíveis, e a melhor forma de adaptá-los ao trabalho de vendas e a comodidade do cliente. Deve considerar: o acesso dos consumidores; o local do caixa; o local de estoque e armazenamento; a disposição dos acessórios para colocação das mercadorias (gôndolas e displays); disposição das mercadorias e dos corredores, observando a passagem dos consumidores; o local das vitrines.
  • Higiene e limpeza: o lojista deve ter atenção com chão, acessórios, displays, mercadorias, placas e a parte externa da loja.
  • Iluminação: iluminar significa realçar loja e produtos. A iluminação pode e deve ser utilizada para destacar produtos ou grupo de produtos, seja internamente ou nas vitrines.
  • Cores: é mais recomendável utilizar cores neutras nas paredes, acessórios e gôndolas, a fim de realçar seus produtos. 
  • Disposição das mercadorias: as mercadorias devem ser agrupadas de acordo com seu tipo e finalidade ou público a que se destinam, pois a desorganização provoca perda de valor para os produtos expostos.
  • Vitrine: é muito importante que os produtos expostos sempre contenham os respectivos preços, pois o objetivo principal da vitrine é chamar a atenção do consumidor para os produtos da loja, convidando-o a entrar.

10 – Atendimento

Seus funcionários devem ser capacitados continuamente sobre os produtos e serviços que a sua loja oferece e treinados com novas técnicas de venda, a fim de gerar vendas adicionais no processo de compra.

Os funcionários da sua empresa são os primeiros “compradores” de um bem: se ele não tiver plena convicção e conhecimento da qualidade do produto ou serviço que está vendendo, dificilmente conseguirá apresentar uma argumentação eficiente de venda. 

Assim os colaboradores devem ter conhecimento sobre os produtos e serviços que a empresa oferece, através de treinamentos e materiais específicos para auxiliá-los.

E assim, com essas dicas você poderá começar a empreender no setor de material elétrico ou em qualquer outro que desejar.