[Matéria divulgada no Espaço Abreme da Revista Potência]

 

Você e sua empresa já começaram a pensar no ano que vem?

Embora muitos ainda estejam lidando com os desastres da tempestade causada pela pandemia do Covid-19, a qual ainda não passou por completo, mas que já começa a diminuir a velocidade dos seus ventos, chegamos ao terceiro trimestre do ano, momento em que se faz necessário estabelecer os planos e projetos para os próximos períodos.

Infelizmente, em função das medidas de isolamento que vivemos, a ABREME não realizará este ano seu Seminário Econômico, que tem justamente o intuito de provocar este debate no setor do material elétrico.

Para tanto, vale lembrar algumas questões do que foram levantadas no Seminário Econômico da ABREME realizado no Cubo do Itaú, em agosto de 2019.

 

Naquela ocasião, estavam presentes cerca de 92 empresário e executivos, entre fabricantes e distribuidores de material elétrico, e a primeira pergunta feita ao público foi: “Qual a perspectiva de crescimento de sua empresa para 2020?”.  Do total de 73 respostas, observamos que 41% respondeu que iria crescer mais de 10% e 32% iriam crescer entre 5% e 10%, ou seja, 73% tinham uma expectativa otimista de crescimento para 2020.

A segunda pergunta, objetivava entender como as empresas pretendiam atingir tal crescimento. Desta forma perguntamos: “Em quais departamentos pretende investir em 2020?”.

Nesta questão, 78 pessoas participaram, em que 54% pretendiam investir em inovação e tecnologia, enquanto outros 36% investiriam na área comercial, totalizando 90% dos investimentos nestas duas áreas.

Já na terceira questão, cujo objetivo foi identificarmos quais os principais desafios do setor para cumprir com essa expectativa de crescimento, perguntamos: “Quais considera ser os desafios para o futuro da sua empresa?” Neste caso, 49% das 76 pessoas que responderam, disseram que inovar, manter margens, contratar bons profissionais e reduzir custos eram os maiores desafios, pois “Está tudo muito difícil!”, mas, além de tudo, em especial aparece a inovação como o maior desafio, pois ela foi a resposta específica de 25% dos participantes, o que dá a esse item 75% do total de respostas.

Em 2019 enxergávamos o mundo de forma otimista, com crescimentos acima de 10% e os investimentos e desafios estariam relacionados à inovação e à tecnologia.

Retornemos ao momento atual. Embora não tenhamos realizado a mesma pesquisa para o ano de 2021, talvez a expectativa de crescimento também seja acima de 10%, mas desta vez não decorrente do otimismo daquela época, mas sim devido à queda dos faturamentos deste ano.

Quanto aos investimentos e desafios, bem possivelmente o interesse em inovação e tecnologia devem ter se intensificado, uma vez que houve um aumento da relevância dessas questões a partir da pandemia.

Boa parcela de qualquer previsão para o ano que vem dependerá do desenvolvimento de uma vacina para o Corona Vírus, mas independente desta variável o investimento na transformação dos negócios, que já era uma tendência, tornar-se cada vez mais determinante, e aquelas empresas que já vinham se transformando aumentaram ainda mais suas vantagens competitivas neste ano.

Muitos empresários e executivos com quem falo reclamam que num mundo em constante mudanças tem sido cada vez mais difícil planejar. De fato, reconheço que se tornou um exercício mais desafiador, e por isso mesmo passou a ser uma grande vantagem competitiva para aqueles que o fazem bem. Por outro lado, há previsões que parecem não serem tão difíceis assim, pois as evidências gritam.

Já é hora de pensar no que será do ano que vem. Você e sua equipe já começaram a pensar em 2021? Qual o seu plano?