Mesmo com o aumento do desemprego, a mão de obra qualificada ainda se encontra escassa.

De acordo com os dados divulgados no ManpowerGroup, na última década o número de empresas que reportou falta de mão de obra qualificada foi de 30% em 2009, para 54% em 2019. E, no Brasil, esta realidade ainda acontece.

O real motivo do problema

O motivo que leva o Brasil a não ter mão de obra qualificada pode estar relacionado a uma transformação global bem como da falta de percepção de pessoas e empresas com relação às habilidades e competências que necessitam ser desenvolvidas.

Quanto maior o desemprego, maior o número de profissionais disponíveis no mercado. Desta maneira é muito mais fácil para empresas buscarem mão de obra qualificada em meio a tantas opções.

Porém, infelizmente, não é isso que acontece. Um dos problemas encontrados, é que as próprias empresas acreditam que nenhum profissional está de fato qualificado e ficam rodando em círculos, procurando o “funcionário ideal”, que nunca encontram.

Mais uma realidade

Frente a esta realidade, é fácil encontrarmos funcionários recrutados de outras empresas, que possuem qualificação e vivência na área para a qual são contratados, serem considerados desqualificados na cultura estabelecida pela nova companhia.

Outro ponto bastante relevante é a cultura brasileira onde, muitas vezes, o indivíduo para de estudar para se dedicar ao trabalho. Desta forma, mais uma vez, a mão de obra fica desqualificada, pois, em sua maioria, essa pessoa trabalhará em atividades operacionais que não possuem tempo hábil para uma qualificação mais aprofundada.

Uma mudança nos padrões

Atualmente o foco das empresas está nas habilidades humanas, habilidades estas que vem sendo “deixadas de lado” como colaboração, parceria, relacionamento e, principalmente, habilidade e paciência para aprender algo novo.

Segundo estudo do ManpowerGroup, as profissões mais buscadas não sofreram alterações nos últimos anos, entretanto continuam escassas e isso se deve à evolução digital.

O nosso mercado

Quando falamos em distribuição de materiais elétricos, o problema também é encontrado e, por esse motivo é importante que as empresas estejam devidamente preparadas para treinar seus funcionários para que se qualifiquem.

Ensinos à distância, Webinares, Workshops e tudo que for capaz de qualificar um profissional é bem-vindo e deve ser prioridade para a empresa.

Nós, da Abreme, apoiamos a educação e nos preocupamos com o futuro do nosso setor.